Melhorando o transporte do seu cãozinho

Quem tem um cão gosta de ter o pet como acompanhante nas mais diversas ocasiões. O problema é que o transporte cachorro pode ser um desafio: muitas vezes, é preciso comprar artigos específicos para o pet, de modo a mantê-lo confortável e seguro.

A boa notícia é que, como o mercado pet brasileiro é forte e promissor, há cada vez mais soluções de transporte para quem tem um amigo de quatro patas.

Da mesma forma, um veterinário pode dar algumas dicas para que o processo seja mais tranquilo para o animal.

Quer aprender algumas maneiras de tornar o transporte de seu cão mais tranquilo? Então confira as dicas a seguir:

Na rua, considere uma bolsa canguru

Ao invés de comprar um carrinho, cada vez mais pais e mães optam por transportar seus filhos bebês em uma bolsa canguru.

Trata-se de uma bolsa de tecido que é amarrada ao corpo e permite levar uma criança de modo seguro e confortável, sem a preocupação de montar e desmontar o carrinho.

Por mais que muitas pessoas não conheçam essa solução, também é possível usá-la para transportar cachorros de pequeno porte.

É uma alternativa interessante para à bolsa para carregar cachorro tradicional, já que ela não ocupa as mãos do dono e permite que ele tenha um contato muito mais próximo de seu pet.

Entretanto, é preciso notar que esse apetrecho só é adequado para transportar o animal nas ruas: no caso de aviões e ônibus de viagem, as empresas exigem que eles embarquem em uma caixa ou gaiola maior e mais estruturada, de modo a evitar que eles incomodem os demais passageiros.

Conte com bolsas ou gaiolas adequadas

Na época de alta temporada turística, a procura por locais para hospedar os amigos de quatro patas enquanto a família viaja cresce.

Assim, é comum que hotéis para pet lotem, e, que amigos e vizinhos que poderiam alimentá-lo e fazer-lhe companhia também estejam fora da cidade. Nesses casos, não há outra opção além de levar o cão junto.

A boa notícia é que boa parte das empresas de transporte comercial (seja ele aéreo ou rodoviário) transporta os pets sem maiores problemas. Elas, contudo, podem ter algumas exigências, tais como:

  • Peso máximo;

  • Restrição de raças (principalmente as ferozes);

  • Laudo veterinário;

  • Idade mínima.

Além de tudo isso, o animal precisa ser levado em uma bolsa ou caixa transporte, pois ele – jamais – poderá ficar solto dentro do veículo.

Nesse caso, o acessório deve ser adequado ao porte do cão, e reter fezes e urina que ele possa produzir ao longo da viagem.

Da mesma maneira, ele deve ter espaços por onde o ar possa entrar, de modo que o cão possa respirar tranquilamente durante todo o trajeto.

Vale ressaltar que, no caso dos aviões, é preciso averiguar se o pet viajará na cabine ou no porão. No primeiro caso, ele pode ser levado em uma bolsa transporte de tecido, em companhia dos donos.

No segundo, ele tem que ser entregue à companhia em uma caixa de plástico rígida e resistente, por questões de segurança.

Fique atento aos sinais de ansiedade

Boa parte dos cães gosta de passear e de ir a outros lugares. Contudo, no caso de alguns animais – principalmente os filhotes – o transporte pode ser um momento estressante, causando-lhes episódios de ansiedade.

É fácil visualizar os sinais desse transtorno, pois, muitas vezes, ao ver a gaiola para cachorro, ele pode começar a salivar em excesso, tremer, latir ou até mesmo vomitar.

A boa notícia é que existem maneiras de lidar com isso. Uma boa técnica é permitir que o cão entre no veículo sozinho, quando ele estiver desligado, e brincar com ele em seu interior.

Pode demorar, mas, dessa forma, ele associará o local a uma recompensa.

Agora, se o medo for excessivo e impedir a realização do transporte, os donos podem ministrar um medicamento tranquilizante para o animal.

Isso, porém, deve ser feito com cautela, conforme as instruções de um veterinário.

Confira as normas de empresas de transporte

Por fim, é preciso considerar que, todas as vezes que o animal for transportado em um veículo comercial, haverá regras a serem seguidas durante a viagem.

Por mais básicas que algumas sejam, cada empresa tem poder para criar suas próprias normas.

Assim, para evitar imprevistos, cabe aos donos se informar a respeito delas. É uma maneira de não passar por nenhuma dor de cabeça na hora H.

Deixe uma resposta