Tudo o que você deve saber sobre os cuidados com araras

A arara é um pássaro de grande porte, pertencente à família Psittacidae e à ordem ordem Psittaciformes.

Apesar de estar em risco de extinção, trata-se de um símbolo da rica fauna brasileira: há quinze espécies presentes por todo o território nacional.

Um fato interessante a respeito delas é sua lealdade. Na natureza, elas costumam viver em grupos, ou até mesmo com um cônjuge, durante toda a vida.

Isto faz com que muitas pessoas se interessem em ter uma delas como animal de estimação, mas sem antes consultar um especialista em aves.

Portanto, antes de levar um animal do tipo para casa, é preciso informar-se a respeito dos cuidados com ele e refletir sobre a capacidade da família de provê-lo. Confira alguns fatores a se levar em conta:

1. Araras são longevas

Adotar uma arara é um compromisso de longo prazo. Longevos, estes animais podem viver por até 70 anos. Portanto, não é raro que uma arara de estimação passe de geração em geração dentro de uma família.

2. É preciso ter uma autorização do Ibama

Por todo o Brasil, há criadores de animais exóticos que os vendem sem as licenças ambientais requeridas para tal.

Além de crime, isto representa risco para o comprador. Pode ser que ele adquira um animal que não teve acesso a consultas veterinárias para arara ou que tenha sofrido maus-tratos e, consequentemente, sofra de traumas e outras doenças.

Do mesmo modo, um animal silvestre clandestino pode acarretar em multa para os proprietários, ou, até mesmo, cadeia.

Portanto, antes de fazer a aquisição, é preciso certificar-se de que o estabelecimento tem todas as autorizações necessárias, e exigir a comprovação disso.

3. Filhotes devem receber alimentação específica

Ao levar um filhote para casa, é importante marcar uma consulta veterinária para arara. Afinal de contas, trata-se de um animal exótico, e o cuidado com ele é diferente do de um cão ou gato.

Uma das orientações mais importantes dadas ao dono é a respeito da alimentação de filhotes.

Eles devem ingerir algo chamado papa para psitacideos, fornecida direto no bico, com uma seringa sem agulha: é a melhor maneira de replicar sua alimentação natural. À medida que a ave cresce, podem ser fornecidos sementes e frutas.

4. Araras precisam de atenção e companhia

Em consultas para arara ou de qualquer outra espécie, normalmente os veterinários dão uma série de recomendações aos donos. Uma delas é a atenção que esta ave necessita.

Eles são seres sociais, que vivem em grupo na natureza. Assim, quando são deixados sozinhos, podem até mesmo adoecer.

Portanto, não vale a pena adotar uma arara se não há tempo para interagir e brincar com ela cotidianamente. Isso só vai causar sofrimento ao animal.

5. É preciso ficar atento a doenças comuns em araras

Do mesmo modo, é importante ficar de olho em doenças que afligem comumente estas aves. Algumas delas são:

  • Pneumonia;
  • Fratura das pernas ou das asas;
  • Piolhos nas penas;
  • Asma;
  • Bronquite e traqueíte;
  • Coriza.

Caso o dono note sintomas destes males, mudanças de comportamento significativas no animal, é importante levá-lo a um veterinário especialista em arara ou na espécie da ave em questão.

6. É preciso dispor de uma área para o animal

Com o tempo, uma arara pode atingir até um metro de envergadura. Portanto, é preciso contar com um viveiro espaçoso para ela, com 2 m² por ave, chão de terra batida ou cimento liso e água à disposição.

Em caso de dúvida, marque uma consulta veterinária para arara canindé. O profissional saberá indicar o ambiente mais apropriado para ela.

7. Itens perigosos devem ser mantidos longe da arara

Além de muito sociáveis, as araras são curiosas. Portanto, elas experimentarão qualquer objeto ou substância deixado perto delas.

Por conta disso, é essencial manter itens perigosos, como fios elétricos ou substâncias químicas, longe do animal. Do contrário, podem haver acidentes.

Caso o pior aconteça, o ideal é marcar uma consulta veterinária para arara azul ou canindé o mais rápido possível. Quanto antes o tratamento contra o acidente for iniciado, melhores as chances da ave de se manter em plena forma.

8. Atenção especializada é fundamental

Nem todos os profissionais de saúde animal tratam seres exóticos. No caso desta ave, é importante contar com um veterinário especialista arara canindé: ele saberá tratá-la e orientar os donos a respeito dos cuidados com ela, melhor do que ninguém.

Deixe uma resposta