Animais exóticos de estimação

Estima-se que, em todo o mundo, exista mais de 130 milhões de animais de estimação. Por mais que os mais comuns sejam os tradicionais, como cães e gatos, também há quem opte por um pet mais exótico, desde um porquinho da índia ou até uma tarântula.

Ao contrário do que muitos pensam, isso não é contra a lei, pois desde que o animal tenha sido comprado junto a um estabelecimento autorizado, a ação não é ilegal.

Está pensando em adotar um pet um pouco fora da curva, mas não sabe por onde começar? Então continue lendo e confira alguns animais exóticos que você pode ter em casa, quanto eles custam e os cuidados que requerem.

Mini porco

Para quem nunca teve um animal de estimação exótico na vida, adotar um mini porco pode ser uma boa opção. O motivo por trás disso é que, pese às particularidades em seu cuidado, eles podem ser muito semelhantes a um cão ou a um gato em sua manutenção.

Em primeiro lugar, o mini pig, como também é chamado, pode ser comprado em lojas especializadas, e não costuma custar mais do que R$ 1.500.

Da mesma forma, ele pode ser alimentado com rações desenvolvidas especificamente para as suas necessidades nutricionais – que, ainda assim, podem ser complementadas com legumes. Além disso, eles também precisam sair para passear e devem ser higienizados periodicamente.

Entretanto, os donos de porco de estimação também precisam estar atentos a alguns detalhes. O primeiro deles é adquirir seu pet em um local de confiança – do contrário, é possível se frustrar com atendimento, logo, adquirir um filhote de porco normal, que ultrapassa bastante os 30 quilos do mini.

Também é preciso manter a pele do pet sempre hidratada, para que ela não fique ressecada nem rachada. Por fim, é essencial limpar suas fezes rapidamente, já que elas podem ter um odor forte e desagradável no ambiente.

No caso de quem vive em apartamentos, é preciso, ainda, ter um cuidado extra, ou seja, verificar se o condomínio aceita este pet em suas instalações. Também é interessante conferir com a prefeitura da localidade se ele pode passear pelas ruas normalmente.

Tarântula

Por mais que uma aranha tarantula desperte um verdadeiro pavor em boa parte das pessoas, outras são absolutamente fascinadas pelos aracnídeos. A boa notícia para estas últimas é que é possível adotar um representante da espécie como pet.

Uma das vantagens de se optar por isso é o fato de que uma aranha pode ser mantida em um ambiente relativamente pequeno. Um aquário, semelhante aos construídos para peixes, costuma ser suficiente para manter o animal de forma saudável.

Além disso, por mais que um filhote em idade de crescimento tenha que ser alimentado com certa regularidade, uma aranha adulta pode passar longos períodos em jejum.

Porém, ter um aracnídeo como pet também tem algumas desvantagens.

A primeira delas é que é imprescindível estar sempre atento para as condições de temperatura e umidade do aquário, pois caso elas fiquem desequilibradas, a aranha pode chegar a óbito.

Portanto, recomenda-se a instalação de sensores específicos para o monitoramento de tais variáveis.

Da mesma forma, é preciso ter muito cuidado ao manusear qualquer representante desta espécie. O motivo por trás disso é que elas costumam picar, e, assim, causar sintomas como:

  • Dor;

  • Vermelhidão;

  • Inchaço;

  • Febre de graus variados.

Além disso, uma queda pode ser fatal para uma aranha. Ela pode, ainda, fugir e se esconder, especialmente se a espécie em questão for rápida. Por conta disso, especialistas recomendam evitar a manipulação.

Por fim, alimentá-las pode ser complexo, por isso, é interessante manter os hábitos que ela teria em seu habitat natural, comendo pequenos animais, como grilos, por exemplo.

Jiboia

Outra opção interessante para quem sonha em ter um pet que fuja do comum é a cobra jiboia. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, ela não é venenosa.

Na natureza, ela mata suas presas por estrangulamento. Além disso, os botes só acontecem caso ela seja manipulada de forma equivocada.

Outra vantagem de se adotar esse pet é a rotina simples de cuidados que eles demandam. Em primeiro lugar, assim como a aranha, ela pode passar longos períodos sem se alimentar, reduzindo o custo e o esforço do dono.

Além disso, ela pode viver por várias décadas, e reconhecer o dono por meio de seu apurado olfato. Por fim, se a jiboia for mantida em um terrário adequado, ela dificilmente terá problemas de saúde ou trará quaisquer problemas.

Deixe uma resposta